ISCSPoiler – Aladdin está de volta em versão live-action

O novo filme “Aladdin” estreia hoje e faz parte da nova aposta da Disney em adaptações live-action. O original em animação estreou em 1992 e 27 anos depois recebe uma atualização com músicas novas e um CGI (Computer Graphic Imagery) que há quase 3 décadas atrás era impossível de criar. O Jornal Desacordo teve a oportunidade de estar presente na ante-estreia para imprensa e vai contar-te “quase” tudo.

Esta adaptação tende a seguir o mesmo argumento que o original apenas com pequenas mudanças. O mesmo aconteceu com a adaptação da “Cinderela” e “Bela e o Monstro”, onde foram copiados pormenores exatamente como no filme animado, pelo seu valor icónico.

Apesar de, quando anunciado o casting para o filme, este ter sido alvo de algumas controvérsias, os atores deram o seu melhor para darem vida a estas personagens tão bem conhecidas do público.

Will Smith tentou dar o seu melhor e respeitar a personagem tão adorada do Génio. Contudo seria sempre impossível equivaler-se a Robin Williams, o ator que interpretou o Génio na versão animada. Sabe-se que , na versão animada, a personagem foi criada muito à base da interpretação de Williams e do seu improviso hilariante. Os números musicais conseguem ser um bocadinho cringe no início mas o truque é tentar simplesmente divertirmos-nos e não comparar, pois o Robin Williams nunca dará uma luta justa pelo seu brilhantismo.

Jafar é a personagem que talvez sofre uma maior mudança de personalidade. Continua a ser o vilão, mas no caso do filme animado consegue ser mais extravagante nos seus requintes de malvadez, enquanto que no live action  é mais calmo e sinuoso, o que não é exatamente mau mas a graça do Jafar era a sua loucura excêntrica.

Mena Massoud e Naomi Scott, que intrepretam Aladdin e Jasmine respetivamente, têm uma interação agradável demonstrando a formação da história de amor entre as personagens que cantam das músicas mais famosas da Disney “A Whole New World – Um Mundo Ideal”.

Contudo enquanto Aladdin se mantém o mesmo ladrão de rua com bom coração que se apaixona pela princesa, a história de Jasmine muda um bocadinho, mas para melhor. Numa era de igualdade a nova Jasmine veste uma nova faceta feminista e de emancipação da mulher. Porém a continuação da ideia presente no filme de que ela quer a sua liberdade para casar com quem quiser, mesmo sendo uma evolução desde 1992, é já um pouco retrógrada para os dias de hoje. Esta transformação de paradigma tem vindo a ser lentamente evocada pela Disney nos seus novos filmes, largando o modelo original da Branca de Neve que espera pelo seu príncipe, experimentando assim novas ideias como a de Moana que vai salvar a sua terra e família sem precisar do Príncipe Encantado, tentando deste modo que as jovens raparigas que vejam os seus filmes tenham melhores modelos para se inspirar.

De facto o filme precisava de alguns ajustes para ser mais adequado aos dias de hoje e a sua realização não foi em vão. As personagens são menos abstractas e mais profundas. O Génio a ter sonhos de quando um dia for libertado, a Jasmine a querer uma carreira política e não apenas sucesso na vida amorosa e o Jafar a ter desejos um pouco mais concretos do que quer fazer com o seu poder — se bem que na minha opinião o Jafar podia ter crescido um pouco mais mas com já 2h08 de filme há sempre um tanto que não se pode fazer.

Ao longo do filme há sempre piadas a serem ditas, sendo bastante semelhante a uma comédia romântica passada em Agrabah, o que mantém a essência do filme original visto ambos terem o mesmo sentido de humor.

No final o CGI está bom para os dias de hoje mas não conseguiu captar a magia do original em certos momentos. O tapete mágico compensa e sem dúvida consegue ser um favorito, os cenários são bonitos e coloridos, as músicas continuam a elevar o filme e os atores tentam o seu melhor numa boa performance.

Nunca será o original mas consegue ser uma boa adaptação, sendo bem sucedido em diversos momentos, e nem que não seja por ser tão semelhante ao original que puxa a nostalgia.

O próximo live-action da Disney é um outro filme muito adorado pelos fãs, O Rei Leão, e que terá estreia em Julho.

Nota: 8/10

Este artigo de opinião é da pura responsabilidade do autor, não representando as posições do desacordo ou dos seus afiliados. 

Escrito por: Angela Pereira

Editado por: Ana Mendes

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s