Abram alas para o Guedes!

Valencia v Sevilla - La Liga

Portugal tem demonstrado a cada dia que passa que além de ser o atual campeão europeu de futebol, apresenta um vasto leque de jogadores de extrema qualidade na sua seleção e que representam o futuro da mesma, tais como Gelson Martins ou André Silva.

Não obstante, se há jogador que merece ser destacado neste momento é Gonçalo Guedes.

Muitos adeptos e críticos de futebol devem estar a questionar: como é que um jogador desta qualidade tinha tão pouco tempo de jogo no Paris Saint Germain?

É verdade que o clube parisiense contratou este ano dois dos melhores jogadores do mundo (Neymar e Mbappé), mas o seu talento é inquestionável e as últimas jornadas só têm comprovado que o “menino” que fez toda a sua formação no Benfica, que se afirmou a nível europeu com um toque subtil em pleno Vicente Calderón e que era considerado uma das maiores promessas do futebol português, não perdeu as capacidades que o fazem um dos jogadores mais acarinhados pelos adeptos valencianos.

Apesar do começo não tão efusivo, Guedes “renasceu das cinzas” e após um golo fenomenal na última jornada frente ao Bétis, em Sevilha, teve uma exibição de gala este fim de semana no Mestalla. Além dos dois golos marcados, contribuiu em grande parte para que a sua equipa conquistasse os três pontos contra o Sevilha, que é um dos quatro representantes espanhóis na UEFA Champions League.

Graças a estes resultados, o clube está a emergir novamente no panorama futebolístico espanhol, encontrando-se no 2º lugar da liga espanhola, apenas a quatro pontos do líder Barcelona, o que demonstra que a pouco e pouco está a voltar a conquistar o prestígio que o define, devendo em grande parte aos mais recentes desempenhos do jovem português.

Ao afirmar-se num clube que já apresenta grandes potências ofensivas como Simone Zaza ou Rodrigo, Gonçalo Guedes tem dado razões mais do que suficientes para que seja convocado para os próximos jogos da seleção nacional A, algo que eventualmente acontecerá se mantiver esta produtividade nos desafios que se seguem.

É por estas e por outras que nós, portugueses, temos todas as razões para afirmarmos que temos jogadores excecionais a representar o nosso país tanto na seleção A, como na seleção sub-21 e que podemos ter a possibilidade de dar continuidade ao sucesso de 2016, em França, agora na Rússia, no Mundial que se avizinha.

Este artigo de opinião é da pura responsabilidade do autor, não representando as posições do desacordo ou dos seus afiliados.

Escrito por: Pedro Escórcio

Editado por: Adriana Pedro

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s