V de volta, V de Valete

E eis que Portugal recebe uma notícia por volta das 17h15 do dia de hoje, 2 de junho de 2017, que abalou (pelo lado positivo) o universo da música portuguesa e, mais concretamente, do hip-hop “tuga”. Valete está de volta! Sim, o rapper old school regressa assim e mostra que veio para ficar com “Rap Consciente”. Mas já lá vamos. Primeiro, permitam-me falar um pouco do retorno desta lenda.


Como um dia normal, estava no Facebook e deparo-me com uma publicação do Valete colocada há cerca de dois minutos, na altura. E a publicação iniciava com a frase “Boas Pessoal, já lá vão 11 anos sem álbum” completando dizendo que estava de volta ao estúdio, prometendo um novo projeto para breve. Mas o que mais me chamou a atenção foi o seguinte: “Para além de alguns problemas pessoais que me distanciaram da música(…)”. Mas calma, que problemas pessoais? Debati-me um pouco sobre o assunto mas segui em frente. Prometeu lançar as músicas atempadamente, as mais “urgentes” mas que o grosso irá ser lançado juntamente com um álbum do qual não fez saber nenhuma data de edição. Para finalizar deixou a sua primeira música deste novo projeto: “Rap Consciente”. Eis o post integral:

img_3686img_3687-1

Adiante. “Rap Consciente”. Que música é esta? Basicamente é uma música que mostra a revolta de Valete perante o mais recente estado do Hip-Hop português. Neste “som”, Valete não foge da sua essência e ainda remete várias críticas a diversos rappers (sem os nomear) como “até curto sons de amor mas bro tu exageras” ou “agora fazemos alianças com kizombeiros“. Como as músicas de Valete têm sempre um cariz histórico e político, esta não fugiu à regra, como podemos ver em “Manos em Angola perseguidos pelo ativismo(…)/ Terceira guerra mundial entre ocidente e jihadismo”.

Por fim deixo aqui o apelo de uma ISCSPiana que encontrei no Facebook que expressa mais que bem o que se sente ao ouvir esta música:

img_3689

Aguardamos, ansiosamente, pelo lançamento do novo álbum de Valete, pois a verdade está expressa nesta música. O hip-hop tem de ser ressuscitado e, na verdade, quem melhor do que Keidje Torres Lima para o fazer?

Este artigo de opinião é da pura responsabilidade do autor, não representando as posições do desacordo ou dos seus afiliados

Escrito por: Bruno André

Editado por: Daniela Carvalho

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s