As Relações Públicas e a voz dos alunos: o terceiro dia das Jornadas da Comunicação

O terceiro dia das Jornadas da Comunicação foi marcado por uma sessão presencial de manhã, com profissionais da área das Relações Públicas, e uma sessão online, ao final da tarde, para dar voz aos alunos e aos seus trabalhos.

Às 10h30, ocorreu a conversa presencial “Para além do Jornalismo – Relações Públicas” com as ISCSPianas Mariana Neto Carmo, especialista em Relações Públicas na The Square e Filipa Primo, diretora de marcas na ATREVIA. A conversa foi moderada pela vice-presidente do Núcleo de Ciências da Comunicação (NCC) e diretora do Jornal desacordo, Rafaela Boita.

Mariana Neto Carmo falou do seu percurso profissional, no qual tem realizado trabalhos de comunicação externa e interna, participado num projeto de rebranding e trabalhando com empresas unicórnio. Mais aprofundadamente, falou da experiência de ser ghostwriter (escritor-fantasma), falando do processo de trabalho, onde cria personas e perfis (chegou a ler um exemplo) adequados à pessoa para quem está a escrever. Mariana Neto Carmo confessa que pode ser uma profissão um pouco frustrante, porque todos os textos que se produz ficam em nome de outra pessoa, no entanto, também pode ser gratificante. Explicou ainda o que é, e como funciona, um pitch jornalístico e salientou a importância de conhecer agências diferentes.

Filipa Primo, por sua vez, tem vinte anos de experiência em consultoria de comunicação, tendo entrado no setor das Relações Públicas quando este estava menos fragmentado, crescia mais facilmente e a área digital estava numa fase ainda muito primitiva. Falou sobre o processo de recrutamento de colaboradores, mencionando que tenta sempre identificar se os entrevistados têm perfil para liderança ou para focalização num certo campo e propiciou dicas bastante úteis para quem está prestes a entrar no mercado de trabalho. Destacou a extrema importância de encontrar áreas de interesse, de fazer perguntas, de gostar de lidar com pessoas e de ter uma boa gestão emocional e referiu que não se deve menosprezar tarefas mais aborrecidas nem ter medo de se ser extrovertido. Sobre o seu trabalho, advertiu que o papel do consultor nunca é passivo e que ter uma marca própria é uma mais valia, que a falta de tempo pode ser um problema, que há uma enorme importância em estar atualizado e que as crises são momentos por vezes inesperados e de grande tensão, falando do papel fundamental da gestão de crise nas empresas.

Durante a tarde houve uma nova atividade online nas Jornadas, a chamada “CC Talks”, às 17 horas, onde os alunos foram convidados a inscrever os seus projetos para os expor. Foram apresentados três projetos, entre eles dois podcasts e uma página de cinema e cultura cinematográfica presente em várias plataformas.

O primeiro podcast apresentado foi o “Falando Claramente”, da ISCSPiana Jhulia Clara, é um podcast onde a aluna dá as suas considerações sobre vários assuntos, convida amigos para falarem de vários temas com ela ou entrevista até personalidades. Esta combinação leva a resultados engraçados e a um podcast diversificado no seu conteúdo. Este projeto começou quando a aluna ainda estudava na Universidade Autónoma e foi incentivada pelo Professor João Sousa a seguir em frente com este projeto. A voz do professor é a que ouvimos no seu jingle.

Apresentação do projeto “Falando Claramente”

O podcast está disponível no Spotify, no Apple Podcasts, no site de Rádio e Multimédia de Ciências da Comunicação da Universidade Autónoma, assim como no Instagram em @falando_claramente.

Episódio mais recente do Falando Claramente no Spotify

Para além do podcast, a Clara falou também rapidamente de outro projeto que tinha criado e que quer que “volte à vida”. Este projeto é o “MELEL”, um clube do livro online que pretende “mostrar o quão boa a leitura pode ser”. Podes encontrar tudo sobre este projeto no site, um projeto que pretende desafiar através da leitura.

O projeto que foi apresentado de seguida foi o “MegaCult”, tal como tem na sua descrição, um “Projeto de Crítica de C(ultura)inema”, fundado por Rafaela Teixeira, licenciada em Ciências da Comunicação pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. O projeto teve lugar na sessão, porque a ISCSPiana Rafaela Boita contribui com conteúdos para as páginas do Instagram e Facebook do projeto.

As críticas a filmes e série feitas pelos membros do projeto, a fundadora Rafaela Teixeira, Jénica Lage e Rafaela Boita, são partilhadas no Instagram e no Facebook na descrição das publicações, onde para além de darem a sua visão do filme dão também uma nota. As críticas não são muito longas, estão adaptadas ao formato onde estão a ser partilhadas e podem sempre comentar, tanto para dar feedback da crítica, como para dar a vossa opinião!

O “MegaCult” é um projeto que faz não só críticas e análises de filmes e séries dos mais variados géneros, mas também tops dos melhores filmes e séries de um certo mês, curiosidades sobre filmes, entre muitos outros conteúdos que podem encontrar em @megacult_ no Instagram e no Tiktok.

Exemplo de um Reels de 5 curiosidades do filme “Tick, Tick…Boom!”
Exemplo de um Tiktok que conta a origem de Batman em poucos segundos.

No Facebook basta pesquisarem por MegaCult e também por “Mega Cult – Dicas de Filmes e Séries”, para poder aderir a um grupo onde são partilhadas as novidades da página e onde se cria uma espécie de comunidade online de amantes de cultura e cinema.

Além disso, o MegaCult está também presente, através da fundadora Rafaela Teixeira, no Telegram, Twitter, Letterbox e TV Time. Já o Youtube é também uma plataforma onde são partilhados muitos conteúdos do projeto, como vídeos mais longos de análise de filmes, séries, ou até plataformas streaming. Este projeto marca ainda presença na Twitch e tem um e-mail para parcerias e outros assuntos, canalmegacult@gmail.com.

Vídeo no canal do MegaCult sobre a HBO Max

Em seguida, foi a vez de Miguel Tomás, aluno de jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social (ESCS), apresentar o seu projeto, o podcast “Game On”, um podcast sobre videojogos. Game On é um podcast que passa na rádio da ESCS FM, mas está também presente no Spotify. É um projeto recente, tendo surgido em novembro de 2021. O podcast tem sempre um convidado para que se possa conversar não só do percurso do convidado, mas essencialmente de um jogo em questão.

O podcast de Miguel Tomás conta já com 4 episódios, em que se pode ouvir não só sobre termos mais técnicos dos jogos, mas também ouvir falar apenas da história de um jogo, como é o caso de The Last Of Us, um jogo que tem imenso para falar em termos de narrativa. O podcast tem uma rúbrica baseada no jogo da Playstation, Buzz, que terá um segundo episódio lançado e terá episódios futuros com convidados como Nélson Silva do programa ADVNCE em colaboração com a SIC e episódios com jogos como o The Sims.

Apresentação do podcast “Game On”

O projeto está também presente no Instagram, onde poderão seguir o trabalho que tem sido feito e as novidades do podcast em @game_on_escsfm.

Projeto “Game On” no Spotify

Escrito por: Beatriz Gouveia Santos e Rafaela Boita

Editado por: Renato Soares

Um pensamento sobre “As Relações Públicas e a voz dos alunos: o terceiro dia das Jornadas da Comunicação

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s