Os 200 anos do nascimento de Dostoiévski

Na passada quinta-feira, foram assinalados os 200 anos de nascimento do autor russo.

Fonte: Sputnik Brasil

“Como pode um homem escrever tão mal, tão incrivelmente mal, e fazer-te sentir tão profundamente?” – foi assim que Ernest Hemingway, laureado com o Prémio Nobel da Literatura em 1954, se referiu ao autor, gerando muita controvérsia. Vários especialistas russos desconfiam que Hemingway estivesse apenas com inveja. Na verdade, Fiódor Dostoiévski é considerado por muitos como um dos maiores escritores da história da literatura.

Nasceu há 200 anos, no dia 11 de novembro de 1821 – embora alguns registos apontem para 30 de outubro – em Moscovo. Descobriu a sua vocação literária com apenas quinze anos, enquanto estava na Escola Militar de São Petersburgo, depois de ler autores como Puskine, Gogol, Byron, Victor Hugo, Shakespeare ou Balzac.

Publicou o seu primeiro romance, “Pobre gente”, em 1846, com vinte e cinco anos, romance este que foi bastante bem recebido entre os críticos e o público.

Capa de “Pobre Gente”, primeiro romance de Dostoiévski. Fonte: fnac.pt

Três anos depois, viria a ser condenado à morte devido a questões políticas, acabando por ter havido uma comutação da pena pelo czar Nicolau I, a quatro anos de trabalhos forçados na Sibéria.

Atingiu o estrelato anos mais tarde, com romances como “Recordações da Casa dos Mortos” (1861), “Humilhados e Ofendidos” (1862), “Crime e Castigo” (1866), e “O Jogador” (1867), que se diz ser, de certa forma, autobiográfico. Porém, o livro que é muitas vezes conceituado como sendo o seu magnum opus foi publicado em 1880, um ano antes da sua morte – “Os Irmãos Karamazov”, que Sigmund Freud, autor do seu posfácio, nomeou como “a maior obra da história”.

Capa de “Os Irmãos Karamazov”.
Fonte: wook.pt

A escrita de Dostoiévski não só é, em larga escala, uma crítica à sociedade russa do século XIX, retratando os seus vícios e vivências, como tem uma grande componente filosófica que aborda temas complexos como a espiritualidade ou a condição humana, o que podemos observar no seguinte excerto:

“Fala-se por vezes da crueldade ‘animalesca’ do homem, mas isso é uma horrível injustiça e uma ofensa para os animais: um animal nunca pode ser tão cruel como o homem, tão artisticamente cruel”

– Ivan Fiodórovich, o segundo dos Irmãos Karamazov.

O escritor tem influenciado, ao longo do tempo, vários outros grandes escritores, entre os quais se pode destacar Friedrich Nietzsche, William Faulkner, Jean Paul Sartre e, mais recentemente, Orhan Pamuk.

Alguns autores influenciados por Dostoiévski (a preto e branco: Nietzsche e Sartre, a cores: Faulkner e Pamuk). Fontes: Guia do Estudante / blogletras / Valor Econômico / Estação Armênia.

O atual chefe de estado russo, Vladimir Putin, comemorou o 200° aniversário do nascimento do autor com uma visita á Casa-Museu Dostoiévski, em Moscovo.

Vladimir Putin celebrou os 200 anos de Dostoiévski com uma visita ao Museu em sua homenagem
Fonte: TASS News

Escrito por: Beatriz Gouveia Santos

Editado por: Rafaela Boita

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s