A relevância da série The Bold Type

The Bold Type chegou a Portugal este ano e encontra-se disponível na plataforma de streaming Netflix. A série inspirada na vida de Joanna Coles, editora-chefe da revista Cosmopolitan, tem sido um sucesso e arrasta consigo mensagens sensibilizadoras e relevantes para os espetadores. 

The Bold Type, uma série de Sarah Watson, acompanha a vida e a carreira profissional de Jane (Katie Stevens), Kat (Aisha Dee) e Sutton (Meghann Fahy), em Nova Iorque. As três amigas conhecem-se na Scarlet Magazine, onde desenvolvem aspirações pessoais diferentes e um crescimento conjunto. Jane acompanha a revista desde pequena e consegue um lugar como redatora. Kat é responsável pela gestão das redes sociais da Scarlet. Já Sutton inicia o seu percurso como secretária, mas o seu verdadeiro sonho é ser estilista de moda. 

A série inova ao introduzir de forma leve temas extremamente relevantes. A luta pelo feminismo, pela igualdade de género e oportunidades, a luta contra o racismo e até violações são alguns exemplos do que podem encontrar representado ao longo dos episódios. Os aspetos humanos e sociais são conjugados de forma a divertir o espectador e, em simultâneo, sensibilizar para assuntos importantes. 

As três amigas enfrentam complicadas vidas amorosas, novos desafios profissionais e imprevistos de vida sempre em conjunto, tornando o Fashion Closet da revista o seu refúgio. Por muito cliché que possa parecer, a verdade é que a série nos ensina a valorizar as amizades, a lutar pelos nossos sonhos e a não desistir deles, quer pelo medo do fracasso, quer pelo género com que nos identificamos.

The Bold Type | Fonte: Netflix

The Bold Type destaca-se também pelo traço individual atribuído a cada uma das personagens. Sejam secundárias ou principais, todos os intervenientes assumem um papel importante. 

A decisão certa nem sempre é fácil de tomar. Por vezes, não devemos seguir o politicamente correto e não devemos ter medo de ser fiéis aos nossos princípios. Exemplo disso é a editora-chefe Jacqueline Caryle (Melora Hardin), à qual Jane, Kat e Sutton estão subordinadas. É uma mulher bem-sucedida, solidária e destemida em enfrentar os olhares masculinos superiores a si na revista. Jacqueline nunca coloca em causa a integridade da revista feminista, mostrando a todas as mulheres que faz sentido a sua representação genuína. 

A grande inspiração da série, que já conta com cinco temporadas, é a carreira da jornalista Joanna Coles. Ao longo do seu percurso na área do jornalismo enfrentou conflitos e desafios marcantes, os quais são interpretados pelas três amigas. Os seus tempos como editora-chefe da revista feminista Cosmopolitan estão diretamente representados na personagem de Jaqueline. Para além de inspiração, Joanna Coles é também produtora-executiva da série. 

A série estreou-se em 2017 nos Estados Unidos, no Freeform. Chegou à Netflix este ano, estando disponível para visionamento as primeiras quatro temporadas. A quinta e última temporada foi lançada a 26 de maio na plataforma de streaming Freeform e, no dia seguinte, na plataforma Hulu, não existindo ainda data para estreia na Netflix. 

Podes assistir ao trailer aqui. 

Escrito por: Maria Santos

Editado por: Rafaela Boita

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s