50 anos da morte de Jim Morrison

Este mês assinala-se mais um aniversário da fundação da nação americana e também os 50 anos do desaparecimento de um dos seus filhos mais controversos, Jim Morrison. Vocalista da banda The Doors, expoente maior da contracultura e voz de uma geração revoltada e reivindicativa, entre outros escândalos chegou a ser preso por mostrar a genitália num concerto.

Jim Morrison nasceu na Florida em 1943 com o nome de James Douglas Morrison, no seio duma família conservadora americana. Era o mais velho de três irmãos e o seu pai era Almirante da Marinha de Guerra dos Estados Unidos, o que fez com que Jim tivesse passado a infância e adolescência em vários pontos diferentes do país, afirmando alguns biógrafos que tal facto o transformou num jovem solitário e devorador de livros, começando na adolescência a dedicar-se também à escrita de poesia.

Jim Morrison, vocalista dos The Doors, Fonte: Jornal de Notícias

Esta fervilhante veia artística contra a qual o pai se opunha leva-o a inscrever-se no curso superior de cinema da UCLA (Universidade da Califórnia/Los Angeles), carreira que acabará por não seguir, uma vez que é nesse mesmo curso que conhece Ray Manzarek, com quem decide formar uma banda assim que terminam o curso, no ano de 1965, juntamente com dois amigos de Ray: Robby Krieger e John Densmore, os dois único membros da banda ainda vivos atualmente. Assim nascem os The Doors, um dos grupos de maior influência da década de 60 que, apesar da sua efémera existência (1965-1971), deixou gravados sete álbuns de estúdio como legado para a posteridade, incluindo centenas de canções, entre as quais a célebre Light My Fire.

Os quatro membros dos The Doors. Fonte: rtp.pt

Em 1971 a banda decide fazer uma pausa e Jim vai para Paris com a namorada, Pamela, à procura de inspiração para escrever poesia e guiões, mas a verdade é que a espiral de álcool e drogas em que se havia envolvido havia vários anos não ajudou e Morrison morre no dia 3 de julho de 1971 vítima, pensa-se, de overdose. A morte do artista está envolvida em grande mistério até hoje uma vez que não foi realizada autópsia por a lei francesa assim não exigir. Tal aura de mistério ajudou o cantor a transformar-se em mito reunindo ainda hoje uma legião de fãs que fazem questão de se deslocar ao cemitério do Père-Lachaise, em Paris, onde se encontra sepultado.

O legado de Jim Morrison é grande naquilo que toca à sua contribuição para o movimento de contracultura da década de 60 – os célebres e inconformados hippies – o qual contou também com o apoio de grandes nomes como Janis Joplin e o lendário guitarrista Jimi Hendrix, a famosa geração de Woodstock, conhecida pela sua luta pelos direitos das mulheres, da comunidade homossexual, e também pelo fim da Guerra do Vietname (1955-1975), conflito esse que curiosamente contou com o empenho do pai de Jim Morrison, o almirante George Stephen.

Escrito por: Bernardo de Sottomayor

Editado por: Miguel Brejo da Costa

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s