Esperança, Resiliência e Otimismo na Universidade – workshop com a Drª Sara Midões

Nos dias 5, 8, 12 e 15 de abril decorreram as sessões do workshop “Esperança, Resiliência e Otimismo na Universidade: para o desenvolvimento do Capital Psicológico”, organizado pela AEISCSP e dirigido pela Drª. Sara Midões, formadora e Positive Psychology Practitioner. Este workshop surgiu de uma preocupação com o desempenho, gestão escolar e pela sua relação com a saúde mental dos estudantes do Ensino Superior.

Fonte: aeiscsp Instagram

As várias temáticas foram abordados em sessões de 90 minutos cada e foram sendo realizados diversos exercícios e propostas de reflexões relacionados com os temas e os subtemas de cada sessão.

Na primeira sessão houve uma apresentação de cada aluno inscrito e da Drª Sara Midões, que contou um pouco sobre si, o seu percurso académico, a sua vida pessoal e gostos. Cada aluno indicou também uma boa memória de infância, uma das suas qualidades e um valor importante que defende. Nesta primeira sessão a Drª Sara explicou o que é a Psicologia Positiva, o Capital Psicológico e as suas dimensões, ou seja, a Esperança, a Autoeficácia, a Resiliência e o Otimismo, que foram sendo trabalhadas ao longo das várias sessões. Começou-se por trabalhar a Resiliência, o explorar dos recursos e forças de cada um, as redes de suporte, a cultivação de emoções positivas, abordando a importância destas, e os balões de oxigénio, isto é, as atividades que praticamos para nos abstrair.

Na segunda sessão foi trabalhada a esperança através de uma reflexão dos nossos objetivos e planos, sempre com preocupação pelas emoções dos estudantes, perguntando aos alunos como se sentiam, numa palavra, naquele dia e com a partilha do porquê da importância da universidade para cada um de nós. Com o exercício refletimos no que queríamos para a nossa vida ao nível pessoal e profissional, isto em diferentes salas Zoom, para que houvesse uma partilha também em ciclos mais fechados, deixando os participantes mais à vontade. Depois refletimos sobre a natureza dos nossos objetivos e dos passos para cumpri-los e ultrapassar obstáculos. Para uma reflexão individual, depois da sessão, foi sugerido que refletíssemos sobre os nossos objetivos, escrevendo, partilhando com alguém e que construíssemos um plano para perceber se esses objetivos seriam eficazes.

Na terceira sessão foi trabalhada a autoeficácia, o acreditar que somos capazes. Foram apresentados e discutidos o fixed mindset e o growth mindset. Alguns dos exercícios feitos passaram por refletir sobre a mentalidade de crescimento de cada um, como transformar frases e pensamentos em algo mais positivo, e, por último, pensar numa fonte de inspiração e que comportamentos posso e devo copiar.

Na quarta sessão foi trabalhado o otimismo, sendo analisado o locus interno e o locus externo, tendo em conta a forma como se encaram as situações, onde o interno se verifica mais nas pessoas que acreditam que têm controlo no que lhes acontece e o externo está mais presente em pessoas que acreditam que o que lhes acontece deriva da sorte. Aprendemos que se pode aprender a ser otimista e que podemos controlar a forma como pensamos através da forma como comunicamos connosco próprios. Nesta sessão foi feito um exercício de grupo onde tínhamos de pensar num evento negativo e constatar a limitação nesse evento, apontar diferenças face a outras situações menos positivas, ver o que de positivo também ocorreu em paralelo noutras áreas, identificar o que não ajudou e o que estava fora do nosso alcance. Depois pensou-se num evento positivo para ver em grupo a forma como a onda positiva se vai manter no tempo, identificar o que está a correr bem além desse evento, identificar o que fiz que resultou tão bem, ver causas internas que jogaram a meu favor.

O workshop foi muito bem dirigido, dinâmico e teve vários exercícios que captavam a atenção dos alunos inscritos, que não estavam apenas em mais uma aula, mas que realmente tiravam de cada sessão algo que seria útil para o seu dia a dia, para aprenderem a lidar melhor com os desafios da vida. Foi também muito importante o grande envolvimento da Drª. Sara, que não era distante, deu-se desde logo a conhecer na primeira sessão, desafiou os alunos e trocou ideias e pontos de vista, dando também muito espaço para a partilha de ideias, histórias, desafios, dificuldades, entre outras coisas. Para além de aprender, refletir e ver as coisas de outra maneira, este workshop permitiu-nos conhecer novas pessoas, novas realidades, compreender e identificarmo-nos com o outro. Em adição, passamos a refletir na forma como estamos a ver a vida e na forma como poderíamos estar a ver e a empregar isso na melhoria do nosso bem-estar. A maioria dos alunos ligava a câmara nas sessões, era sugerido que o fizéssemos mesmo não sendo obrigatório e considero que ninguém se esquecerá das caras e das vozes daqueles com quem partilhou esta experiência.

Este artigo de opinião é da pura responsabilidade do autor, não representando as posições do desacordo ou dos seus afiliados.

Escrito por: Rafaela Boita

Editado por: Mariana Mateus

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s