“Febre de Sábado à Noite” – O filme que lançou a carreira de John Travolta

Ao aproximarem-se os 43 anos da estreia de “Febre de Sábado à Noite”, realizado por John Badham , é tempo de recordar aquele que foi um dos maiores sucessos de bilheteira da História do Cinema.

O protagonista, John Travolta, deve o lançamento da sua longa e brilhante carreira de hollywood a este filme, que no início, o próprio nem queria fazer por achar não saber dançar suficientemente bem. Para além disso, não pensava que viesse a ter o enorme impacto cultural que se verificou, marcando uma era na música e na moda, fazendo renascer o fenómeno Disco.

Nova Iorque, janeiro de 1977. A Disco é considerado um fenómeno underground, maioritariamente afro-americano, onde a sociedade, em geral, não apreciava. No entanto, dentro de poucos meses, tudo isso mudaria graças à persistência de Robert Stigwood, o produtor, e ao genial talento de Travolta. Juntos são a força motriz duma obra-prima que encantou todos os que o viram. É importante notar, que este não é um filme apenas sobre dança, é um brilhante retrato de uma época, um lugar e protagonistas que vivem realidades pesadas e envoltas em dramas reais.

Esta é a história de Tony Manero (Travolta), um jovem de 19 anos que vive em Brooklyn e trabalha numa loja de tintas, o que não o preenche, de todo. Tony tem dois irmãos e é constantemente comparado ao mais velho, que é padre. Manero é retratado como a ovelha negra da família.

Tony é realmente bom a dançar. Os ritmos loucos da 2001 Odyssey, mítica discoteca de Brooklyn, eternizada pelo filme, atualmente não existente. É aqui que Tony mostra o que vale, conquistando todas as mulheres, fazendo aos restantes homens.

Fonte: IMDb

Ao longo do filme vive-se o ambiente em Brooklyn, com as desventuras do grupo de amigos delinquentes de Tony. A determinada altura entra uma mulher na história, que encanta Tony. A mulher tem o propósito de mostrar, à personagem principal, a ambição de deixar o decadente bairro e rumar à florescente Manhattan. É aqui que há um ponto de viragem e Tony começa a pôr tudo em causa, entrando numa profunda crise existencial e já não sabendo quem é, a que lugar pertence e qual o seu propósito na vida.

Este é um drama que retrata de forma magistral uma geração de jovens precários e sem objetivos que conta com um acontecimento profundamente trágico que marca definitivamente a narrativa e a maneira como o protagonista encara a vida. Para ver e refletir, o filme conta ainda com brilhantes interpretações por parte de Donna Pescow, no papel de Anette, e Karen Lynn Gorney no papel de Stephanie.

Estreou em dezembro de 1977 nas salas americanas, o filme que veio reavivar a música Disco e transformá-la numa verdadeira febre, uma onda que invadiu os Estados Unidos no final da conturbada década de 70 e que se prolongaria até ao início dos anos 80. Marcou uma geração deixando um legado que se estende até hoje, estando na categoria dos grandes clássicos do Cinema.

Este artigo de opinião é da pura responsabilidade do autor, não representando as posições do desacordo ou dos seus afiliados. 

Escrito por: Bernardo Maria de Sottomayor

Editado por: Mariana Rodrigues

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s