Lá Para Dentro: Portugueses brilham na Europa!

Terminadas as duas primeiras jornadas da fases de grupos das principais competições da UEFA, as equipas portuguesas, no seu conjunto, somam 5 vitórias em 6 jogos disputados. Na rubrica desta semana, analisamos os fatores que têm contribuído para o sucesso português.

Começando pela única equipa lusa presente na fase de grupos da Liga dos Campeões: o FC Porto iniciou a sua caminhada europeia com uma deslocação ao reduto de um “tubarão” – o Manchester City. E que grande exibição fizeram os azuis-e-brancos que, inclusive, foram a primeira equipa a marcar no encontro.

Após uma perda de bola de Rúben Dias, Luís Diaz inaugurou o marcador no Etihad Stadium com um remate cruzado ao canto inferior esquerdo da baliza defendida por Ederson Moraes. Fonte: O Jogo

Apostando preferencialmente no contra-ataque, os orientados de Sérgio Conceição conseguiram contrariar com grande qualidade as investidas ofensivas (muito limitadas) dos Cityzens, que apenas conseguiam dominar a posse de bola (bem ao estilo de Guardiola). E a prova disso mesmo é que os golos da reviravolta surgem ambos de bola parada: primeiro, Sergio Agüero na conversão de um penalty, oriundo de um lance muito duvidoso; Ilkay Gundogan consumou a reviravolta no marcador ao bater um livre direto de forma irrepreensível. Ferrán Torres fechou o resultado em 3-1, todavia injusto para os dragões dada a qualidade exibicional apresentada. Por sua vez, e apesar da vitória, a equipa de Pep Guardiola continua em busca da sua melhor forma.

Saído do banco, Ferrán Torres estabeleceu o resultado final de 3-1. Fonte: Globo Esporte.

Já no decorrer desta semana, o FC Porto recebia no Estádio do Dragão (já com algum público) a equipa grega orientada por Pedro Martins: o Olympiacos. Os gregos vinham motivados após terem derrotado o Marselha na jornada anterior (1-0) e procuravam dar continuidade aos bons resultados. Mas o jogo não começou da melhor maneira: decorria o minuto 11 quando uma perda de bola em zona proibida possibilitou ao “menino” Fábio Vieira estrear-se a marcar de dragão ao peito.

Fábio Vieira marcou o seu primeiro golo na equipa sénior do FC Porto, inaugurando o marcador no desafio frente ao Olympiacos, a contar para a segunda jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões. Fonte: The Amed Post.

No que ao resto do jogo respeita, a equipa de Sérgio Conceição dominou a primeira parte e foi para o intervalo, justamente, a vencer. No entanto, a postura dos gregos na segunda parte foi completamente diferente e os visitantes revelaram-se uma equipa mais atrevida, tendo criado boas ocasiões. Todavia, diz a máxima que “quem não mata, morre” e foi isso mesmo que aconteceu: Sérgio Oliveira estabeleceu o resultado final aos 85 minutos.

No primeiro jogo com público no Estádio do Dragão desde o início da pandemia, o FC Porto alcançou a sua primeira vitória na fase de grupos da edição 2020/21 da Champions. Fonte: FERNANDO VELUDO/LUSA

Posto isto, uma vitória e uma derrota garantem 3 pontos à equipa da Invicta, conferindo-lhe o 2º lugar do grupo C em igualdade pontual, precisamente, com o Olympiacos. Manchester City lidera após ter derrotado o Marselha de André Villas-Boas por esclarecedores 0-3.

Quanto à Liga Europa: o Benfica assume-se, na voz do seu treinador, como um candidato à vitória na prova, depois de Jorge Jesus assumir publicamente o objetivo de alcançar a final da segunda maior prova de clubes da Europa. E para já a prova está a correr de feição: duas vitórias em dois jogos disputados. O primeiro desafio desta fase de grupos foi na Polónia, frente ao Lech Poznan. O adversário criou muitas dificuldades, sobretudo no contra-ataque. Os polacos conseguiram aproveitar da melhor maneira a descompensação defensiva no lado esquerdo da defesa encarnada (dadas as constantes subidas de Grimaldo ao ataque) e empataram o encontro por duas ocasiões, ambas muito semelhantes.

O ponta-de-lança Mikael Ishak apontou os dois golos polacos frente ao Benfica. Fonte: Mais Futebol

No entanto, o final de tarde estava reservado para Darwin Nuñez. O avançado estreou-se a marcar ao serviço das águias e logo com um hat-trick. Contudo, o que os adeptos mais destacaram (e bem) foi a impulsão revelada pelo uruguaio de 21 anos, no lance do seu primeiro golo. Todavia, é a sua versatilidade e entendimento com Luca Waldschmidt que tornam o ataque do Benfica de Jesus uma verdadeira máquina de fazer golos. Vitória por 2-4 num campo teoricamente complicado.

Darwin Nuñez foi o homem do jogo frente ao Lech Poznan, tendo apontado 3 golos. Fonte: Goal.com

E foi isso mesmo que se verificou, também, no desafio desta semana que marcou o regresso da Liga Europa (e dos benfiquistas) ao Estádio da Luz: vitória por 3-0, mas em que os golos apenas surgiram na segunda parte. Pressão constante ao longo de toda a primeira parte fizeram com que os belgas do Standard de Liége não conseguissem efetuar um único remate no primeiro tempo. Os belgas revelaram-se uma equipa muito fechada e iam conseguindo aguentar as investidas ofensivas (constantes) dos encarnados.

Cerca de 5.000 adeptos do Benfica puderam apoiar a sua equipa frente aos belgas do Standard de Liége. Fonte: Renascença.

Na segunda parte, o plano da formação visitante passaria por manter esta postura. No entanto, uma falta no interior da grande área ao minuto 48 deitou tudo a perder: grande penalidade para o Benfica e golo de Pizzi. Passados alguns minutos, nova falta em zona proibida: desta vez, foi Luca Waldschmidt quem se encarregou de cobrar, com sucesso, o castigo máximo. Pizzi voltou a fazer o gosto ao pé e fechou o marcador com um belo remate colocado, no exterior da grande área. Resultado final: vitória esclarecedora por 3-0

Pizzi foi a grande figura do encontro, tendo apontado dois dos três golos encarnados. Fonte: O Jogo

As “águias” lideram o grupo D com 6 pontos, os mesmos do Glasgow Rangers, orientados por Steven Gerrard. A equipa escocesa está em grande forma e irá visitar Lisboa na 3ª ronda da fase de grupos.

Por fim, vamos analisar o grande arranque que o Sporting de Braga também está a ter na Liga Europa: são 6 os pontos conquistados decorridas, igualmente, duas jornadas. No primeiro encontro, receção aos gregos do AEK Atenas. Apesar de a nível interno as coisas não estarem a correr bem, os gregos traziam o peso de terem eliminado o Wolfsburgo, na última ronda do play-off de acesso à fase de grupos. Os “Guerreiros do Minho” não temeram e conseguiram um excelente resultado: 3-0, com golos de Galeno, Paulinho e Ricardo Horta.

Numa análise mais detalhada ao encontro, importa destacar a coesão demonstrada pela equipa de Carlos Carvalhal que, apesar ter um pouco mais de posse de bola, conseguiu capitalizar nos momentos chave do jogo e obter um excelente resultado.

Galeno, Paulinho e Ricardo Horta marcaram os 3 golos do Sporting de Braga. Fonte: Record.

No jogo seguinte, deslocação à Ucrânia para defrontar o Zorya que, no decorrer da presente temporada, já havia empatado com o Shakthar Donetsk, de Luís Castro, em desafio a contar para o campeonato ucraniano. A entrada bracarense foi demolidora com dois golos em 11 minutos: primeiro, o inevitável Paulinho e, pouco depois, um estreante fez uma obra de arte: foi monumental o golo que Nico Gaitán apontou no seu primeiro jogo com a camisola do SC Braga.

O experiente Nico Gaitan marcou um grande golo na sua estreia em jogos oficiais pelo SC Braga. Fonte: Renascença.

A vencer por 0-2, a intensidade da equipa orientada por Carlos Carvalhal baixou e foi o Zorya quem passou a ter mais iniciativa e a controlar a posse de bola. No entanto, apenas conseguiu reduzir (e estabelecer o resultado final de 1-2) aos 90+6. O Braga conseguiu impor-se ofensivamente nos primeiros minutos do encontro, e posteriormente, susteve a pressão adversária com grande qualidade ao longo de praticamente todo o encontro.

Face a estes dois triunfos, a equipa minhota está empatada na liderança do grupo G com o Leicester: a equipa inglesa é teoricamente favorita à vitória no grupo e irá receber os arsenalistas na próxima semana, em jogo a contar para a 3ª ronda da fase de grupos.

Em suma, as equipas portuguesas começaram a sua participação europeia da melhor maneira. O FC Porto será a equipa que mais terá de batalhar para chegar à fase seguinte (dado o equilíbrio do grupo), todavia Benfica e Braga têm de manter a qualidade exibicional e tática demonstradas até agora, caso queiram garantir a passagem às rondas a eliminar.

Este artigo de opinião é da pura responsabilidade do autor, não representando as posições do Desacordo ou dos seus afiliados.

Escrito por: Filipe Ribeiro

Editado por: Gabriel Reis

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s