Lá Para Dentro: o regresso

Após um paragem forçada pela pandemia, os principais campeonatos de futebol começam a ser retomados. Nesta semana foi a vez da liga portuguesa, com os líderes da tabela classificativa a escorregarem.

No passado dia 3 os adeptos de futebol em Portugal tiveram, finalmente, um motivo para sorrir: recomeçava o campeonato português após uma paragem prolongada. A liga recomeçou no Algarve: Portimonense – Gil Vicente foi o jogo de abertura e terminou com uma vitória dos algarvios por 1-0, com um grande golo de Lucas Fernandes (candidato a um dos melhores golos da época). A equipa de Portimão conquistava assim 3 pontos importantíssimos na luta pela manutenção (ocupa atualmente o 17º lugar, estando ainda abaixo dos lugares de manutenção). No entanto, à semelhança do que aconteceu na retoma do campeonato alemão, o ritmo de jogo foi muito baixo e as oportunidades criadas foram escassas. Mas este pormenor não foi impeditivo para este jogo ser capa do conceituado jornal francês L´Equipe, que destacou assim o regresso do futebol profissional português e o grande golo do jogador brasileiro da equipa de Portimão.

lequipe_4.6.2020

O Portimonense – Gil Vicente mereceu lugar de destaque num jornal conceituado internacionalmente.

Ainda no dia 3 mas um pouco mais tarde teve lugar um dos jogos merecedores de destaque na jornada 25: o Famalicão recebia e derrotava por 2-1 o líder FC Porto, possibilitando um assalto ao primeiro lugar por parte do Benfica no dia seguinte. Para este encontro, a equipa de Sérgio Conceição registava duas baixas de peso: Marcano (lesão) e Alex Telles (castigo) estiveram indisponíveis. O Famalicão revelou-se uma equipa mais capaz do que o FC Porto e aproveitando uma noite desinspirada de Marchesin derrotou de forma meritória o líder do campeonato. No lado dos “dragões” destaca-se mais uma vez Jesús Corona: além de ter apontado o único golo dos azuis-e-brancos, foi claramente o jogador mais esclarecido da equipa.

img_800x5332020_06_04_02_40_10_946798

Uros Racic foi um dos destaques na equipa do Famalicão pela maneira imperial como segurou o meio-campo. Fonte: Correio da Manhã

No dia seguinte, a jornada retomou nos Barreiros: o Marítimo recebia o Vitória de Setúbal, empatando a uma bola. Primeiramente, importa destacar o papel do presidente verde-rubro, Carlos Pereira, no período que antecedeu o regresso da liga: polémico, não só lutou para que o Marítimo disputasse nos Barreiros os jogos restantes na condição de visitado, como também foi o único a vetar a possibilidade de existirem 5 substituições por jogo até ao final da presente temporada.

Quanto ao jogo, o Marítimo assumiu o controlo durante a primeira parte tendo ido para o intervalo em vantagem. Na segunda parte os sadinos equilibraram o jogo tendo mesmo alcançado o empate aos 82 minutos. À semelhança dos demais jogos, verifica-se um ritmo de jogo lento e em que muitos jogadores tiveram dificuldades em cumprir os 90 minutos de jogo.

Marítimo vs Vitória de Setúbal

Marítimo e Vitória FC não foram além de um empate (1-1). Fonte: SAPO Desporto.

De seguida foi a vez do Benfica entrar em campo: recebia a equipa do Tondela no Estádio da Luz. Num jogo bastante apático, as águias assumiram o controlo do jogo mas as ideias eram escassas. Por outro lado, a equipa beirã revelou-se bastante organizada defensivamente e o jogo terminou com um nulo no marcador. Por outras palavras, os problemas demonstrados pela equipa de Bruno Lage antes da interrupção do campeonato mantêm-se, tendo as “águias” vencido apenas um dos últimos nove jogos disputados. Em suma, apesar de igualar pontualmente o rival FC Porto no topo da tabela, permanece no segundo posto visto que os “dragões” têm vantagem no confronto direto (o critério de desempate que será utilizado, se necessário).

img_920x5192020_06_04_18_47_44_1707693

O Estádio da Luz “encheu-se” de cachecóis para a receção ao Tondela. Fonte: Record.

Por fim, jogou-se o jogo em destaque nesta jornada: o Vitória SC recebia no Estádio D. Afonso Henriques o Sporting CP. E foi um dos jogos mais animados da jornada: quatro golos (2-2) num jogo em que o Vitória demonstrou a sua tradicional garra dentro das quatro linhas, enquanto que o Sporting de Rúben Amorim vai dando os primeiros passos. Todavia, é notório o trabalho do técnico português na equipa de Alvalade, que teve uma prestação bastante aceitável num reduto tradicionalmente complicado. De salientar, ainda, a exibição de Sporar: o reforço chegado em janeiro apontou os dois golos leoninos, demonstrando o seu instinto de matador.

I Liga: Vitória SC vs Sporting CP

Andraz Sporar foi a figura do jogo ao apontar os dois golos do Sporting no empate em Guimarães. Fonte: Jornal de Notícias.

No dia 5 jogou-se o Santa Clara – SC Braga, na Cidade do Futebol (que será a “casa” do Santa Clara até ao final da época). Os bracarenses tiveram por duas vezes em vantagem mas a expulsão de Raúl Silva foi determinante no desenrolar do jogo, permitindo à equipa açoreana a reviravolta no marcador no período de compensação, no jogo com mais golos desde o regresso da competição.

mw-860

Thiago Santana esteve em destaque na equipa de S.Miguel, ao apontar dois dos três golos do Santa Clara. Fonte: Tribuna Expresso

Jogou-se, ainda, o Aves – B SAD, com a equipa visitante a vencer por 0-2. Enquanto que a equipa pertencente à Codecity consolidou o seu lugar no meio da tabela classificativa, o Desportivo das Aves vê a fuga à despromoção cada vez mais complicada (são 8 pontos a separar a equipa avense do 16º classificado Paços de Ferreira, que ainda não atuou nesta jornada).

img_476x2682020_06_06_00_24_27_1708333

A equipa orientada por Nuno Manta Santos consolida cada vez mais o último posto da tabela classificativa. Fonte: Record.

E foi assim que regressou o campeonato português e a rúbrica de futebol do Desacordo. As bancadas permanecem vazias, o jogo perde grande parte do seu encanto e já ocorreram situações lamentáveis (o autocarro do Benfica foi apedrejado após o jogo frente ao Tondela, tendo Weigl e Zivkovic sido transportados para o hospital). No entanto importa atentar no que há de positivo: a bola voltou a rolar (constituindo um passo importantíssimo no regresso à tão desejada normalidade), o campeonato está competitivo e a luta pelo título de campeão nacional está longe de estar terminada. Nesta jornada, falta jogar-se o Boavista – Moreirense no dia 6 e o Rio Ave – Paços de Ferreira no dia 7.

14-05-2017-trofeu-da-liga-nos-01

A luta pelo título de campeão nacional intensifica-se entre FC Porto e SL Benfica. Fonte: Liga Portugal

Escrito por: Filipe Ribeiro

Editado por: João Rego

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s