The Desacordo Sessions – A Nostalgia Futurista de Dua Lipa

“Future Nostalgia” é o segundo álbum de estúdio de Dua Lipa, lançado no dia 27 de março de 2020 pela gravadora Warner Records. Em termos musicais a cantora descreve este álbum como uma “aula de dança”. “Future Nostalgia” está a receber excelentes críticas um pouco por todo o mundo e já é considerado um dos melhores álbuns pop dos últimos anos e um dos melhores álbuns lançados em 2020.

“Future Nostalgia” contém sonoridades de inúmeros géneros musicas como pop, discosynthpopelectropophousefunknew wavetechno e EDM, com inspirações nos estilos musicais nas décadas de 1970, 1980 e 1990, trazendo um som tanto “futurista” como “nostálgico”. Segundo Dua Lipa, o álbum conta com influências de artistas como Madonna, OutKast e Gwen Stefani, entre outros. Em 2019, a artista ganhou as duas  categorias dos Grammys Music Awards para que estava nomeada: de Best New Artist e de Best Dance Recording, com Electricity.

Dua Lipa nos Grammys Music Awards 2019

Após inúmeros rumores em relação à tracklist do segundo álbum de estúdio de Dua Lipa, Future Nostalgia não contem nenhuma colaboração (ao contrário do que andou a circular na internet no início de 2020): segundo algumas páginas do Twitter, Future Nostalgia ia contar com a colaboração de quatro artistas: Miley Cyrus, Frank Ocean, Normani e Rosalía. comparando as duas tracklists (a oficial e o rumor), encontramos apenas duas músicas em ambas: Don’t Start Now e Love Again.

 

albuns
Tracklist que circulou na internet (à esquerda) e tracklist verídica (direita)

 

1 – “Future Nostalgia”

Lançado no dia 13 de dezembro de 2019, “Future Nostalgia” foi o segundo single do segundo álbum de Dua Lipa a ser apresentado ao público. Esta música possui uma sonoridade mais experimental, fora do “tradicional pop”.

 

Numa entrevista, Dua disse que queria que esta música fosse divertida, engraçada, não muito séria mas que mostrasse a posição que a cantora queria transmitir, posição essa de liderança, de female alpha; podemos encontrar nesta música inúmeros versos que, através da comédia, ilustram a mensagem que a cantora quer passar, tanto com esta música como com todo o albúm: “Can’t be a rolling stone if you live in a glass house” ou “I can’t build you up if you ain’t tough enough, I can’t teach a man how to wear his pants“.

 

2 – “Don’t Start Now”

“Don’t Start Now” foi o primeiro single da segunda era de Dua Lipa sendo lançado no dia 1 de novembro de 2019. Este tema foi recebido de forma muito positiva pela crítica mundial elogiando a voz de Dua Lipa e o estilo musical. “Don’t Start Now” consiste numa música disco com elementos de house, funk e synthpop que criam um ritmo extremamente vibrante fazendo lembrar a música da década de 80, com o uso de violinos e baterias.

Capa do single “Don’t Start Now”

Este tema aborda o fim de um relacionamento e contém versos que se tornaram virais nas mais variadas redes sociais: “Did the heartbreak change me? Maybe but look at where I ended up” e “Aren’t you the guy who tried to hurt me with the word “goodbye?””. Nas últimas semanas, o refrão desta música tornou-se a banda sonora de inúmeras mensagens de sensibilização relativamente ao COVID-19.

A letra de Don’t Star Now foi inspiração para vários memes

No dia 9 de Março, “Don’t Start Now” chegou à 3ª posição da tabela norte-americana Billoard Hot 100, sendo a música da artista inglesa com melhor posição (até à data); em Portugal, a melhor posição desta música foi o 12º lugar. Esta música foi apresentada ao vivo em inúmeras ocasiões, destacando o The Voice USA, os MTV EMA e no The Tonight Show Starring Jimmy Fallon, no dia 19 de dezembro de 2019.

 

Um dos aspetos em que Dua Lipa tinha sido muito criticada desde que entrou no mundo da música, foi a sua presença em palco: muitos apontavam que parecia um fantoche em palco, que apenas fazia o que estava previamente planeado, tornando as suas performances entediantes, não cativando o público. Tudo isto mudou após a apresentação de “Don’t Start Now” nos MTV EMA (Europe Music Awards) onde a artista mudou completamente a opinião de quase toda a gente sobre as suas apresentações ao vivo.

 

 

3 – “Cool”

Produzida por Stuart Price e pelos TMS, a terceira faixa de “Future Nostalgia” foi escrita por Dua Lipa e pela cantora sueca Tove Lo, e consiste numa música romântica de verão sobre conhecer alguém que nos vira a vida do avesso, fazendo-nos perder a calma. No refrão de “Cool” encontramos elementos de guitarra e de bateria, criando um ritmo mais fresco e mais solto.

4 – “Physical”

Lançada no dia 31 de janeiro de 2020, Physical foi inspirada nas músicas da década de 1980 e inclui elementos da mítica música “Physical” de Olivia Newton-John. A música é  descrita por muitos como uma música mais agressiva, mexida e de “meter tudo em pratos limpos” entre duas pessoas.

Ao longo desta canção, Dua Lipa aborda temas relacionados com o futuro como a popular teoria da conspiração de que estamos a viver uma simulação e que nada do que acontece é real: “love the simulation we’re dreaming in”.

O videoclip consiste numa mistura de sets com inúmeras pessoas de vestidas de cores diferentes por todo o lado a dançar. Este videoclip é já considerado um dos melhores de 2020, e foi produzido por Lope Serrano.

 

5 -“Levitating”

“Levitating” apresenta um ritmo mais fresco, leve, apaixonado, ideal para ouvir num ambiente relaxado e festivo. A quarta música de “Future Nostalgia” é sobre conhecer alguém e viver uma história num tempo e espaço próprio dos dois indivíduos. Com a gravação desta música, Dua Lipa conseguiu definir melhor o tema e o ambiente de “Future Nostalgia”.

6 – “Pretty Please”

A sexta música deste álbum é intitulada “Pretty Please” e segundo Dua Lipa é o primeiro momento onde se respira em “Future Nostalgia”, principalmente depois de “Levitating”.

Dua Lipa é conhecida por misturar ritmos com mensagens e esta música é mais um exemplo disso mesmo. Esta música calma com uma batida fria e distante, é sobre o início de um relacionamento onde se promete a alguém, ou a nós próprios, que vamos levar as coisas com calma mas, depois apercebemo-nos que essa postura não é de quem realmente somos: “somewhere in the middle, I think I lied a little I said if we took it there, I wasn’t gonna change but that went out the window”.

7 – “Hallucinate”

Samuel Lewis (também conhecido pelo seu nome artístico SG Lewis), cantor e produtor inglês, produziu “Hallucinate”, a sétima música na tracklist de “Future Nostalgia”. Dua Lipa escreveu esta música para ser uma música de festival, ou seja, uma das músicas que a acompanharia nas perfomances em festivais. Este tema é inspirado nas músicas de 1990 e a cantora inglesa com origens albanesas descreve-o como a música mais divertida e que mais dá vontade de dançar do álbum.

8 – “Love Again”

“But goddamn, you got me in love again” descreve na perfeição toda a história por trás de “Love Again”, a oitava música de “Future Nostalgia” que começa com uma sample da música “Your Woman” (1997) de White Town. Numa entrevista a uma rádio inglesa, Dua descreveu esta música como uma das suas músicas preferidas deste álbum e como uma das mais emocionais e honestas. “Love Again” foi escrita após o fim de um relacionamento e reflete o quanto a artista queria continuar a ter esperança em voltar a apaixonar-se. O processo criativo foi como uma “terapia” para a cantora de 24 anos. 

9 – “Break My Heart”

“Break My Heart” possui uma pergunta que deixa os ouvintes a pensar tanto na vida amorosa de Dua Lipa, como na dos próprios: “Am I falling in love with the one that could break my heart?”

Capa do single Break My Heart

Lançada no dia 25 de março de 2020, começa com uma sample da música “Need You Tonight” dos INXS’s, que segundo Dua Lipa representa na perfeição o que é chorar numa discoteca e, consiste na sonoridade perfeita para uma música disco mas triste.

 

 

10 – “Good in Bed”

O título desta música torna a mensagem da mesma bastante clara: Good in Bed é uma canção sobre quando o único aspeto que mantem uma relação “de pé” é o sexo. Dua Lipa disse numa entrevista à Apple Music que foi bastante engraçado fazer uma música sobre este tema e que lhe soube muito bem ser tão despreocupada e aberta quanto ao assunto.

“It’s bad
We drive each other mad
It might be kinda sad
But I think that’s what makes us good in bed”

Dua Lipa, Good in Bed

11 – “Boys Will be Boys”

“I talk so much about female empowerment, but I’d never done a song which really talks about the growing pains of what it’s like to be a woman” disse Dua Lipa numa entrevista à Apple Music no passado dia 26 de março.

A última musica de “Future Nostalgia” chama-se “Boys Will Be Boys” e fala sobre dificuldades em crescer como mulher na sociedade atual; a expressão “boys will be boys” é usada como justificação para algumas ações protagonizadas por rapazes porque “eles são mesmo assim”, quando abordados tópicos como a violência ou assédio. Dua Lipa escolheu está música para encerrar Future Nostalgia por ser uma música poderosa, com uma forte mensagem.

It’s second nature to walk home before the sun goes down
And put your keys between your knuckles when there’s boys around
Isn’t it funny how we laugh it off to hide our fear
When there’s nothing funny here? (Ah)
Sick intuition that they taught us, so we won’t freak out
We hide our figures, doing anything to shut their mouths
We smile away to ease the tension so it don’t go south
But there’s nothing funny now (Ah)

Dua Lipa, Boys Will Be Boys

A frase que conduz o refrão desta música, “boys will be boys but girls will be women”, mostra que as raparigas têm de crescer primeiro e serem adultas “mais rápido”, visto que alguns maus comportamentos realizados por rapazes são justificados e não produzem consequências enquanto que, se for uma rapariga a fazer o mesmo a situação é tida de uma outra forma. Esta frase faz também referencia à necessidade de as raparigas terem de crescer mais rápido devido às pressões sociais e as representações irrealistas dos media sobre a mulher e sobre como elas devem ser, tanto fisicamente como psicologicamente.

 

 

No geral, “Future Nostalgia” é um álbum coeso e bem estruturado, que nos transporta para o seu próprio tempo e espaço; usar samples de outras canções é uma prática comum na cultura musical e  ao utilizar samples de músicas icónicas da década de 1980 Dua transformou “Future Nostalgia” num álbum ainda mais único, marcante e diferente. Apesar de ainda faltar algum tempo, vamos encontrar “Future Nostalgia” em quase todas as nomeações para álbum do ano, nomeadamente para o Grammy Music Award, Album Of The Year.

Se Dua Lipa era vista por muitos como uma “mediana pop star”, nesta nova era mostra que é sim o futuro da música pop e que reinvenções são o que fazem os grandes artistas e acima de tudo, o que torna um artista grande.

Classificação TDSessions – 9.5/10

 

Este artigo de opinião é da pura responsabilidade do autor, não representando as posições do desacordo ou dos seus afiliados. 

Escrito por: Miguel Costa

Editado por: Mariana Mateus

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s