Aborrecido em casa? Aqui vai uma recomendação de 10 séries disponíveis na Netflix para ver durante a quarentena

Nesta época de isolamento social, várias pessoas estão a lutar arduamente para tentar ocupar o seu tempo. Uma das maneiras de o fazer é assistir a séries disponíveis na plataforma Netflix – mas nem todos sabem o que ver. Deste modo, vou apresentar algumas sugestões diversificadas que podem ser úteis para quem esteja muito aborrecido.

Atypical – Estados Unidos, comédia dramática

Atypical é uma sitcom norte-americana que acompanha o quotidiano de Sam Gardner, um jovem no espetro autista que sente todos os dias uma enorme pressão ao tentar adaptar-se ao mundo à sua volta. As principais preocupações de Sam são ter uma vida amorosa parecida à dos adolescentes da sua idade, ter sucesso escolar e desvendar todos os mistérios e curiosidades da vida dos pinguins da Antártica. Para sobreviver a todo o stress e contratempos que vai encarando, vai ter a ajuda dos seus pais – os dedicados Doug e Elsa – da sua irmã – a descontraída Casey, que ambiciona tornar-se uma estrela do atletismo – do seu melhor amigo – o carismático Zahid, que o ajuda a enfrentar a puberdade com os seus conselhos – e da sua terapeuta, Julia.

La Casa de Papel – Espanha, drama e ação

Esta série originária do nosso país vizinho e quase dispensa apresentações. Grande parte dos portugueses já assistiram aos assaltos engendrados pelo Professor e executados pela sua hábil equipa de assaltantes experientes à Casa da Moeda espanhola e ao Banco de Espanha. No entanto, os próximos episódios vão estrear já no próximo dia 3 de abril! Na última temporada, os assaltantes acabaram em desvantagem e com muitas fragilidades. Tendo isto em conta, juntamente com o trailer da parte 4, que já foi revelado, muitos fãs temem que mais uma personagem seja assassinada – tanto um dos assaltantes como um membro da polícia. Será que sim? Será que não? É esperar para ver, a quarta parte da série vai, com certeza, responder a todas as questões das quais ansiamos uma resposta.

Os Bons Amantes – Estados Unidos, comédia dramática

Os Bons Amantes ( She’s gotta have it em inglês) apresenta-nos a vida de Nola Darling, uma artista plástica de 27 anos que procura conciliar o seu trabalho com a sua vida social e familiar e com as três relações abertas que mantém. A primeira com Jamie – um quarentão bem sucedido, casado e pai de um filho – a segunda com Mars – um jovem mestiço com origens porto riquenhas, fã incondicional de basquetebol e de Michael Jordan que procura ganhar a vida a fazer música – e a terceira com Greer – um narcisista muito culto que deixa várias mulheres encantadas.
No envolvente cenário de Brooklyn, a série traz-nos, ainda, temáticas como o racismo, a pansexualidade, o assédio sexual e a pobreza. Todas elas abordadas de forma bastante séria dentro de um ambiente plenamente cómico.

Baby – Itália, drama

Esta série italiana, inspirada numa história verídica, gira à volta de um tema bastante controverso – a prostituição de menores. Chiara e Ludovica são duas adolescentes que frequentam um colégio privado em Roma e que, entedidadas com a vida monótona que levam, decidem dedicar-se ao referido negócio ilícito, utilizando o dinheiro que recebem para comprar vários artigos de luxo e vivendo uma vida paralela, que escondem da família e dos amigos. Para além disso, podemos seguir, ao mesmo tempo, o percurso de Damiano – um colega das protagonistas, filho de um embaixador libanês, envolvido no tráfico de droga.

American Vandal – Estados Unidos, comédia e suspense

Com apenas duas temporadas, o principal objetivo de American Vandal é parodizar os documentários criminais. Também em estilo documental, os personagens principais – Peter Maldonado e Sam Ecklund – tentam desvendar mistérios ocorridos primeiro na sua escola, em Oceanside, e depois no prestigiado liceu Bellevue no estado de Washinton. Enquanto que na primeira temporada vão tentar descobrir quem graffitou vários pénis nos carros dos seus professores, de modo a provar que Dylan Maxwell, o principal acusado, é inocente, na segunda, vão procurar descobrir qual é o rosto por detrás do “ladrão cagão”, uma entidade virtual responsável por colocar laxantes na limonada do refeitório da escola, causando a quase todos os alunos problemas intestinais, e por outros incidentes desagradáveis envolvendo o uso de fezes.
Apesar do absurdo das situações, a série, para além de nos fazer rir, causa em nós uma enorme curiosidade em saber quem são os verdadeiros culpados dos acontecimentos.

The end of the f *** ing world, Reino Unido, drama e suspense

James é um rapaz perturbado que vive com o trauma de ter visto a sua mãe a suicidar-se e que se entretém a matar pequenos animais. Alyssa é uma rapariga rebelede e revoltada com o mundo à sua volta que vê futilidade e falsiade em tudo e todos, desde a sua família até às suas colegas de escola. Alyssa vê em James uma oportunidade de escapar à vida desinteressante que pensa que leva. Já James vê em Alyssa uma oportunidade de cometer o seu primeiro homicídio num ser humano.
Os dois começam a namorar e, passado algum tempo, decidem fugir da cidade onde moram e aventurar-se pela Inglaterra profunda. Porém, esta aventura revelar-se-á catastrófica e marcada por várias peripécias assombrosas que vão levar os jovens à ruína material e emocional.

The Witcher, Estados Unidos, fantasia

Inspirada no videojogo e na série de livros com o mesmo nome, The Witcher é uma série que, apesar de muito recente, já atingiu uma enorme popularidade. Entrelaça três histórias: a de Geralt of Rivia (o witcher), um feiticeiro mutante especialista em matar criaturas montruosas, a de Ciri, a princesa refugiada do reino de Cintra, ocupado por Nilfegaard, que está ligada a Geralt pelo destino, e a de Yeneffer, uma poderosa feiticeira que trocou a sua fertilidade por beleza e que se cruza diversas vezes com o witcher.
A série apresenta uma soberba qualidade em efeitos especiais e, apesar de um pouco confusa, acaba por seduzir qualquer um.

Sex Educaction, Reino Unido, comédia dramática

Otis Milburn é um adolescente inseguro cuja mãe, Jean, é terapeuta sexual. Apesar de ainda ser virgem, descobre ter uma ótima capacidade de dar conselhos e compreender os problemas sexuais dos seus colegas de escola. Posto isto, toma a decisão de abrir uma clínica sexual secreta no seu estabelecimento de ensino, juntamente com a sua amiga Maeve – uma rapariga vistosa e cheia de garra que é vítima de más condições sociais e de vários boatos que a retratam como promíscua.
Ao longo da série, os dois vão ajudando jovens de todos os tipos a resolver as inseguranças que enfrentam na sua intimidade, à medida que se vão aproximando cada vez mais, o que provoca uma certa animosidade de Eric – o melhor amigo de Otis – em relação à sua amizade com Maeve.
Uma série que, embora nos traga muitos risos, também nos pode deixar cair algumas lágrimas, pela carga emocional que algumas das suas cenas comportam.

October Faction, Estados Unidos, terror e suspense

Fred e Deloris Allen são um casal de meia idade que esconde dos filhos, Geoffrey e Vivian, a sua verdadeira ocupação – caçar monstros. A família vive em constante deslocação, de país em país, até ao momento em que é anunciada a morte de Samuel, pai de Fred, que os obriga a regressarem à sua cidade natal.
Contudo, este regresso irá fazer com Geoff e Viv comecem a viver várias experiências sobrenaturais. Ele começa a ver espíritos e ela descobre que tem o poder de prever o futuro. Tudo isto ao mesmo tempo que uma misteriosa mulher anda a perseguir os Allen, por razões que se irão revelar inesperadas e impressionantes.

Dark – Alemanha, supense e ficção científica

Na pequena cidade de Winden, há um portal secreto que liga o ano de 2019 aos anos de 1986 e 1953, permitindo a todos os que lá entram deslocar-se por estas três épocas e, por vezes, ficar preso nelas e alterar não só acontecimentos passados mas também acontecimentos futuros.
Quando o pequeno Mikkel, de 11 anos, filho de um inspetor da Polícia e da diretora de uma escola, desaparece sem deixar rasto, a existência do portal é descoberta, primeiro pelo jovem Jonas e depois por outras pessoas, e vários segredos de vários habitantes de Winden são desvendados. A certa altura, os saltos no tempo descontrolam-se de tal modo que a vida dos viajantes atinge um ponto sem retorno.
Uma série externamente cativante na qual é impossível desviar os olhos do ecrã.

Extras – Séries não disponíveis na Netflix

Porque nem todas as boas séries estão disponíveis na Netflix, irei agora recomendar algumas que são televisivas ou que pertencem a outras plataformas.
É o caso de Looking for Alsaka. Esta série, original da Hulu que também está disponível no HBO, é inspirada no famoso romance de John Green. Retrata o percurso de Miles Halter, um rapaz introvertido da Florida, em Culver Creek, no Alabama – um internato onde vai fazer amizades que lhe ficarão para a vida com o inteligente Chip (conhecido como Coronel), o radical Takumi, a doce Lara e, acima de tudo, a enigmática Alaska. O grupo ocupa-se, nomeadamente, de pregar partidas aos Weekday Warriors , o seu grupo rival constituído por desportistas ricos. Porém o ambiente de toda a Culver Creek é altamente abalado depois de um trágico acidente que vai mudar completamente a vida dos estudantes.
Pertencente à NBC, temos This is Us, que acompanha a vida dos trigémeos Kevin – um bonito e popular ator – Kate – uma mulher que luta contra a obesidade – e Randall – um exitoso homem negro que vive com o conflito interior de nunca ter conhecido os seus pais biológicos até à idade adulta – e dos seus pais, Rebecca e Jack, que apesar ter ter falecido quando os filhos eram ainda adolescentes, foi, sem dúvida, a figura mais determinante nas suas vidas.
Falando de séries portuguesas temos 1986, que se situa nesse mesmo ano durante o período das eleições presidenciais portuguesas que opuseram Mário Soares e Diogo Freitas do Amaral e que acompanha a vida de Tiago, um nerd filho de um comunista ferrenho que tenta ultrapassar a morte da sua mãe ao mesmo tempo que vive apaixonado pela inteligente e popular Marta e que se diverte com os seus amigos, a gótica Patrícia e o metalhead Sérgio.
Outra produção nacional também situada nos anos 80 é Conta-me como foi. A série estreou em 2007 e, enquanto as suas primeiras cinco temporadas espelharam o Portugal do Estado Novo, a sexta passa-se já na referida época na qual os tabus já não são todos resistentes são abordados problemas diferentes que marcaram a década como, por exemplo, a SIDA.
Ambas as séries estão disponíveis no site RTP-Play.

Looking for Alaska
This is us
1986
Conta-me como foi

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s