O top 5 da Liga dos Campeões

Pela primeira vez na história da competição que representa a elite do futebol europeu (UEFA Champions League), somente irão estar presentes clubes de cinco países da Europa.

Inglaterra (4), Espanha (4), Itália (3), Alemanha (3) e França (2), são estas as nações que constituem a lista dos 16 clubes que conseguiram ultrapassar a fase de grupos em direção aos Oitavos-de-Final, a primeira fase a eliminar da referida competição.

Podemos assim, questionar a ausência de outros clubes, e posteriormente países, que frequentemente marcam presença nesta fase da competição. Portugal, Holanda, Rússia, Turquia, Ucrânia, Bélgica, Suiça, Grécia, são alguns dos exemplos de países que não têm qualquer representante na fase a eliminar da maior competição europeia da atualidade.

Afinal, o que pode levar a que uma competição aberta a todos os países da Europa acabe por ficar reduzida a cinco países numa fase tão precoce como esta. Em primeira instância conclui-se que este sistema privilegia quem tem poder económico e deste modo, se possa destacar dos restantes.

A diferença de orçamento entre as equipas, aliada a uma maior capacidade de contratar ativos torna esta luta cada vez mais desigual. De referir que a quantia recebida por cada clube está diretamente relacionada com a fase que conseguiram alcançar, contribuindo para uma espécie de efeito bola de neve, no qual os ricos ficam mais ricos, e os “pobres” mais pobres.

De referir que estas diferenças não aparecem hoje como novidade, este era um fenómeno há alguns verificado no panorama europeu camuflado por campanhas notáveis por parte de equipas de outros países europeus com base noutras formas de organização (por exemplo aposta na formação). Exemplos como o Ajax (Holanda), que na época anterior realizou uma belíssima caminhada nesta mesma competição, no presente ano, não foi além da fase de grupos. Equipas como, RB Salzburgo, SL Benfica, ou o próprio Ajax são exemplos de equipas que tendo por base esta mesma filosofia não tiveram o sucesso desejado.

Torna-se imperativo refletir acerca do sistema implementado pela UEFA, no que concerne à competitividade entre as equipas, em específico de diferentes ligas europeias. Cada vez parece mais uma realidade que esta competição esteja designada a clubes destas 5 principais ligas europeias.

Ainda que seja defendido que tal fenómeno contribua para um aumento da competitividade da Liga Europa (considerada a competição secundária na Europa), a ideia que realmente fica é de uma maior centralização do poderio financeiro e futebolístico por parte dos vários clubes oriundos destes 5 países, que para já vão ditando a elite da maior competição de futebol na Europa, e quem sabe, do mundo.

ELiZ0uWWwAAIMf5

Atalanta (Itália), Atlético de Madrid (Espanha), FC Barcelona (Espanha), Bayern Munique (Alemanha), Borussia Dortmund (Alemanha), Chelsea FC (Inglaterra),, Juventus (Itália), RB Leipzig (Alemanha), Liverpool (Inglaterra), Olympique Lyonnais (Frnça), Manchester City ( Inglaterra), Napoles (Itália), Paris-Saint-German (França), Real Madrid (Espanha), Tottenham Hotspur FC (Inglaterra), Valencia (Espanha).

O sorteio da próxima fase irá realizar-se no dia 16 de Dezembro de 2019, em Nyon, Suiça.

Escrito por: Gabriel Reis

Editado por: Cláudio Nogueira

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s