Conhecer Portugal – Barreiro

Sub-Península da Península de Setúbal, o Barreiro é um concelho ribeirinho marcado por uma forte história industrial.

O seu desenvolvimento teve início na segunda metade no século XIX com a exploração de linhas férreas que iam até Setúbal e Vendas Novas. Mais tarde, várias indústrias foram nele implementadas pela CUF (Companhia de União Fabril), com grande ajuda e dinamismo do ilustre industrial Alfredo da Silva – ao qual o concelho, em homenagem, dedicou a construção de um belo mausoléu.

Mausoléu dedicado a Alfredo da Silva

Visto muitas vezes como um mero dormitório de quem trabalha na margem-norte do Tejo, o Barreiro é muito mais que isso. Ainda fruto da intensa atividade industrial do concelho temos o Museu Quimiparque, um museu interessante de se visitar não só pela vasta história que carrega, como também pelos impressionantes equipamentos que possui. Até os mais pequenos ficam deslumbrados ao verem toda aquela maquinaria. Quem esteja interessado na história da cidade, pode, ainda, visitar o “Espaço-Memória”, onde estão dispostas várias informações e artefactos do seu património histórico-cultural.

Para aqueles que estão mais virados para as artes e para o espetáculo, também há coisas a fazer. Por exemplo, uma breve passagem pelo Auditório Augusto Cabrita, que dispõe frequentemente exposições artísticas temporárias e peças de teatro pela Companhia Municipal Arteviva – uma companhia com atores brilhantes que já representou peças de autores como Gregory Burk (autor da peça agora em exibição, “Rua Gagarin” – a qual recomendo vivamente pela excelente qualidade do enredo e da adaptação ao palco – , Jean Genet e Nikolai Gógol. A arte urbana também é de destacar, com os murais do famoso Vhils ou os graffitis originais estampados nos muros e nas paredes.

Graffitis no Barreiro
Mural do artista Vhils no Barreiro

O Barreiro também enche as medidas dos amantes do ar livre e da natureza. O parque da cidade é o espaço ideal para um passeio romântico, em família ou com amigos, para ir dar uma volta de bicicleta, para ir fazer uns truques de skate e de BTT, para descansar, para brincar e até para ver alguns concertos quando os há – por exemplo os concertos no âmbito da iniciativa Jazz no Parque ou das comemorações do 25 de Abril. Menor mas não menos encantador é o parque Catarina Eufêmea, com o seu amável parque infantil e o seu modesto e bonito lago. Para quem se queira aventurar por um ambiente mais selvagem há a mata da machada, ótima para fazer picnics e passeios naturais. À beira rio, há, ainda, a airosa zona do pólis, com um letreiro a indicar o nome da cidade e a larga caldeira do alemão, e a zona dos passadiços e dos moinhos, um autêntico paraíso, excelente para caminhadas, para fazer exercício e para apreciar a paisagem.

Os passadiços de Alburrica são um lugar mágico

No que toca à gastronomia, há uma enorme oferta e a baixos preços. Há uma vasta diversidade de restaurantes – restaurantes tradicionais portugueses, chineses, japoneses, indianos, italianos, vegetarianos, dedicados ao peixe, hamburguerias, pizzarias, enfim, cozinha para todos os gostos e feitios.

Chegar ao Barreiro é fácil e bastante acessível. Basta, a partir de Lisboa, apanhar o catamarã no Terreiro do Paço ou, a partir de outras zonas do distrito de Setúbal, apanhar o comboio. Se alguma vez o leitor decidir visitar esta cidade, não se esqueça de a disfrutar ao máximo e de apreciar a bela vista além Tejo!

 

Escrito por: Beatriz Gouveia Santos

Editado por: Júlia Varela

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s