Segundo dia do ENAGRH

No passado dia 10 de abril, realizou-se o segundo e último dia do Encontro Nacional de Alunos de Gestão de Recursos Humanos (ENAGRH), no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP).

Num dia onde a manhã ficou marcada pelos workshops “Técnicas de Comunicação e Entrevista”, com a Dra. Anabela Chastre e “As 10 principais skills até 2020”, com a Dra. Catarina Neto, ex-aluna do ISCSP, as palestras ficaram para a parte da tarde, onde o Desacordo esteve presente.

Na primeira palestra, baseada no tema “Construir uma Carreira em GRH”, com a Dra. Rita Duarte, a oradora demonstrou inúmeras formas de expormos não só o nosso currículo para o mercado trabalho, mas também a nós próprios, dado que defende veemente a típica lengalenga de que “a média não é o mais importante na escolha de um trabalhador para uma empresa”, apesar de referir que tem alguma importância. Esta palestra ficou igualmente marcada pela revelação de que a sua equipa de recursos humanos é composta por alguns ex-iscspianos que não frequentavam o curso de Gestão de Recursos Humanos, dando a entender que a nossa forma de estar e a nossa personalidade claramente influenciam no momento em que o empregador decide se nos contrata ou não, especialmente em áreas sociais.

Após um pequeno coffee-break, deu-se início à última palestra do dia e deste primeiro encontro, dedicada ao tema “Empreendedorismo na Cultura Portuguesa”, que era composta por um leque variado de oradores, tais como Dr. Mário Centil, representante da Associação Portuguesa de Gestão de Pessoas, Dr. Pedro Ramos, Diretor de Recursos Humanos da TAP, Dr. Manuel Sousa Antunes, fundador da UNEEQ Consulting Group e a Dra. Patrícia Palma, coordenadora da ELINOV.

Entre vários temas, foi referido que, por mais inovação que possa haver e por mais fatores motivacionais que possam impulsionar o empreendedorismo, todas as empresas estão constantemente “infetadas” por pessoas que demonstram “anti-empreendedorismo” e falta de coragem em correr riscos. O empreendedorismo tem vindo a crescer em Portugal e a própria cidade de Lisboa é hoje considerada ideal para novos investimentos e, acima de tudo, ser um bom empreendedor é ser alguém que, desde a ideia inicial até ao plano criado e à gestão feita, realiza as suas ações de uma forma responsável, dando longevidade à empresa, pois o maior problema do empreendedorismo em Portugal é a prematuridade com que estes acabam.

No final, à conversa com a Vice-Presidente do Núcleo de Gestão de Recursos Humanos, Rita Gaspar, foi nos dito que, apesar das adversidades, estiveram presentes no evento “mais pessoas do que estavam à espera”, apesar de não ter vindo nenhum aluno do curso, exterior ao ISCSP. Considera que a escolha das parcerias e dos oradores que fizeram parte deste encontro permitiram mostrar “os dois lados: o que pode “assustar” os alunos e o que pode aproximar os alunos” da realidade e que, apesar do ISCSP poder não voltar a receber este encontro para o ano que vem, visto que é suposto ser feito todos os anos em faculdades diferentes, têm condições de receber o encontro no próximo ano ou noutro ano qualquer, mas que gostaria igualmente que fosse feito noutra faculdade, pois “trata-se de um ciclo”.

Escrito por: Pedro Escórcio

Editado por: Daniela Carvalho

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s