De pedidos de casamento a danças inesperadas no palco: John Legend acabou a tour em Lisboa da melhor forma

John Legend encerrou ontem a tour “Darkness and Light”, onde apresentou ao público europeu o seu mais recente álbum, num total de 24 concertos. Lisboa, mais propriamente o MEO Arena, foi o palco escolhido para o encerramento da mesma.

Eram 20:20h quando consegui arranjar lugar para o carro e, a esta altura, já estava a pensar “Vou ficar na fila e ouvir as músicas cá de fora”, visto que o concerto estava marcado para as 21h. Felizmente, isto não aconteceu. Entrar no MEO Arena, a 30 minutos de começar o concerto, foi mais fácil do que entrar em alguns autocarros em hora de ponta. Fiquei à volta de 10 minutos na fila, já contando com a parte da segurança das malas e o rastreio do código de barras do bilhete.

Tudo pronto, são 21h, as luzes baixam. Como era de prever, não é John Legend, mas Jack Savoretti. Não sei quanto a quem está a ler isto, mas eu nunca tinha ouvido tal nome. Não foi preciso muito para o público se render à voz e simpatia do cantor que, durante meia hora, entreteve os espectadores. Depois de acabar, já os mais atrasados estavam sentados nos seus lugares e, quando se olhava para a sala, esta encontrava-se lotada à espera de John Legend. E eis que, às 22h em ponto, começam a surgir os efeitos. O cantor começa por cantar “I Know Better”, que faz parte do seu novo álbum, ao som do piano, e a multidão fica meio embasbacada. Pelo menos foi assim que me senti e, a julgar pelo silêncio que ouvi e algumas bocas abertas de pessoas que estavam a meu lado, aposto que não fui a única.

Depois de mais uma música do seu mais recente trabalho, Legend volta lá atrás e canta “Tonight” para delírio de muitos dos fãs que já conheciam este trabalho. À quarta música, já se notava um John Legend a pingar de suor, literalmente. É verdade, quem pensava que este só cantava, que se desengane. Dança, e dança muito. Desengane-se também quem acha que este tipo de concerto tinha tudo para ser um concerto triste, onde olhamos ao redor e vemos lágrimas. Muito pelo contrário, este adquiriu uma vertente muito mexida desde o início, com um protagonista animado, sorridente, e feliz.

O espectáculo rondou muito à volta de mensagens subliminares, sobretudo de cariz social, onde o cantor quis transmitir ao público, mais do que uma vez, que há muito mais do que os likes, as notificações e que por vezes temos de desligar de tudo o que não nos faz bem.

E eis que, a meio do concerto, e prestes a começar a sua interpretação de “Like I’m Gonna Lose You” surge um pedido de casamento, ao qual o cantor não ficou indiferente e congratulou o casal.  Se houvesse uma escala de 0-10 no que toca a interação com o público, John Legend teria tido 11, e tal factor confirma-se quando convida uma rapariga do palco para dançar com ele, ao som de “Slow Dance”.

O concertou segue com mais repertório, tanto do novo álbum, como mais velho (sim, Ordinary People esteve presente) e, de repente, ele vai embora. “All of Me”, onde estás? Aparece depois de 2 minutos de espera, com efeitos estrelados num palco, e ao qual ninguém ficou indiferente. John Legend põe fim à tour com “Glory”, sendo que esta serve  de ponte para uma homenagem a Martin Luther King.

John, volta mais vezes, mas não te esqueças de cantar a Everybody Knows.

Escrito por: Ana Prates

Editado por: André Blayer

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s