Formalizada proposta para criação do primeiro Curso privado de Medicina

A Universidade Católica Portuguesa (UCP), em parceria com a Universidade de Maastricht, o Grupo Luz Saúde e a Câmara Municipal de Cascais, pretendem desenvolver uma nova alternativa para uma das áreas mais disputadas no acesso ao Ensino Superior.

Esta intenção será formalizada esta sexta-feira, dia 24 de Fevereiro, para o Campus de Cascais da Faculdade de Ciências da Saúde da UCP, dando assim o primeiro passo naquilo que poderá ser o nascimento do primeiro curso privado de Medicina do nosso país. Este será o primeiro passo de um processo complexo, que requer em seguida de uma apresentação da proposta junto da Agência de Avaliação e Acreditação de Ensino Superior (A3ES), agência cujo aval é essencial para a validação da atribuição de qualquer grau do ensino superior, processo que se avizinha um pouco longo, ou seja, no mais favorável cenário a proposta é apresentada pela Católica até ao final do ano e poderá ser aprovada para acolher os primeiros alunos em 2018/19.

Além da particularidade de este poder ser o primeiro curso de Medicina do Ensino Privado em Portugal, conta ainda com a característica de poder vir a ser o primeiro curso de medicina internacional do nosso país, através da parceria desenvolvida com a Universidade de Maastricht, da Holanda, baseado no modelo de ensino (assente em Problem Based Learning) que a mesma tem vindo a desenvolver “com sucesso há 50 anos”, que seria “totalmente em inglês”, explicam os responsáveis em comunicado. No mesmo comunicado  os responsáveis do projecto invocam a “inquestionável qualidade de duas entidades com provas dadas: o Grupo Luz Saúde, operador privado de referência na saúde em Portugal, e a UCP, uma referência de excelência no ensino superior”.

Pese embora a dependência do referido aval pela A3ES o projecto parece desde já merecer a confiança de responsáveis políticos, materializado na presença do secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, já confirmada, anuncia a Católica.

Sobre o espaço em Cascais, Carlos Carreiras disse ao jornal i que as obras no antigo hospital “podem arrancar assim que estejam licenciadas”. Pelo contrário, para a requalificação do edifício das Águas, há ainda que “finalizar o projecto da obra, qup8050036_2e está a ser tratado pela UCP. Posteriormente, vai ser aberto um concurso público para adjudicar a obra” reafirmando assim o enorme empenho da Câmara Municipal em trazer este projecto para o concelho.

Estas aspirações do setor de ensino superior privado para desenvolver a área de formação de Medicina no seio do mesmo não são novas, tendo já contando com tentativas das Universidades Católica (anteriormente), Lusófona, Fernando Pessoa e Egas Moniz e o Instituto Piaget, que nunca conseguiram reunir as condições necessária para obterem o aval da A3ES.

A Católica procura assim reafirmar a aposta no setor da saúde iniciada há cerca de uma década com o curso de enfermagem, agora sustentada com a parceria com o Grupo Fidelidade detido pelo grupo chinês Fosun, detentores do grupo Luz Saúde e a seguradora Multicare.

Escrito por: Filipe Lima

Editado por: André Blayer

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s