RTP2 estreia novo programa de arte

estou-nas-tintas-rtp-2

Fonte: Trendy

Esta sexta-feira, dia 6 de janeiro, estreia um novo programa na RTP2: “Estou nas Tintas”, uma série sobre arte portuguesa que será emitida às 21 horas.

Os episódios de 25 minutos dão a conhecer os cerca de 80 artistas portugueses mais importantes da arte nacional atual: quem são, o que criam e o significado da sua obra. Destes artistas fazem parte pintores, escultores, writers, comummente conhecidos como graffiters, ilustradores e artistas plásticos. Segundo António de Almeida Lopes, realizador do programa, o objetivo é “divulgar uma série de artistas que ninguém conhece, ao mesmo tempo que se promovem expressões artísticas que não são valorizadas”.

Acrescentou ainda que cada episódio inclui pequenas curiosidades históricas, dando como exemplos o maior quadro do mundo e a obra mais valorizada em leilão.

O primeiro episódio conta com nomes como Nuno Reis, que dá pelo nome artístico Nomen, Joana de Oliveira, Dalila D’Alte, Eurico Gonçalves, Sara-a-Dias, Rogério Timóteo e Gabriela Carrascalão, esta última acompanhada musicalmente pelo seu marido, José Cid.

Em entrevista ao desacordo Gabriela Carrascalão, que ao longo da sua vida conciliou a atividade de jornalista com a pintura, afirmou que “o programa possibilita não só uma demarcação da sua identidade, muitas vezes confundida com a do marido, como também uma forma de divulgar o seu trabalho, que é mais conhecido na Austrália, em Timor – Leste e na China”. Destaca artistas nacionais como Júlio Bernardo, Paula Rego, Teixeira Lopes e Graça Morais, mas não sem mencionar a falta de apoios nacionais. “Eu vivi muitos anos num sítio onde a arte faz parte do nosso dia-a-dia. Esta vem contribuir para a estabilidade mental, e quem é responsável pela cultura em Portugal deveria dar mais atenção a isso, porque muitas vezes a arte revela a identidade de um país”, declara.

No que diz respeito ao panorama artístico português, Jaime Silva, artista e professor na Faculdade de Belas Artes de Lisboa, afirma que “temos uma comunidade de artistas forte mas muito displicente em relação aos seus direitos”, ao que José Cid acrescentou que “apesar de Portugal ser um dos melhores países, estamos muito mal orientados culturalmente”.

O programa produzido pela Provetouch conta ainda com entrevistas feitas a Júlio Pomar, Cruzeiro Seixas, Manuel Botelho, Ana Mesquita, Carlos Nogueira, Odeith, entre outros.

Quando questionado sobre os planos para o futuro, o realizador refere que há “possibilidade do programa vir a ter continuidade”, se forem criadas condições para uma segunda série.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos por Inês Paulos

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s